Global Deputy CIO

A variável humana: como projetar uma estratégia de segurança para um futuro no fluxo

A variável humana: como projetar uma estratégia de segurança para um futuro no fluxo

Este artigo de periódico foi publicado originalmente no volume 5 (2021-22) de “Cyber Security: A Peer-Reviewed Journal” pela Henry Stewart Publications.

A força de trabalho híbrida não é mais um conceito, é uma realidade. Com a força de trabalho híbrida, as equipes de TI devem levar em consideração três tipos de funcionários: alguns que vão trabalhar todos os dias, alguns que estão remotos e alguns que são uma combinação de ambos — provavelmente, o grupo mais complexo. No último grupo, o trabalho será feito de qualquer lugar, como aeroportos, postos avançados, hotéis etc. Os pontos de exposição se tornarão exponenciais e a TI terá que se preparar para proteger e controlar um conjunto diversificado de ambientes.

Isso levanta a questão: como administrar com êxito a fluidez dos funcionários, com informações que entram e saem de escritórios, aeroportos, hubs, cafeterias e bibliotecas em diferentes taxas?

Nós desejávamos explorar maneiras viáveis de as organizações criarem uma estratégia de segurança enraizada na variabilidade da força de trabalho híbrida — uma maneira que atenda aos funcionários onde quer que estejam e os ajude a aprender o papel que desempenham na proteção desse novo modelo. Essa estratégia gira em torno de três grandes princípios: adoção de uma abordagem de confiança zero, personalização da proteção de dados e reforço de treinamentos práticos e robustos.

Os leitores do artigo de periódico abaixo podem ter a expectativa de aprender o que realmente é necessário para colocar essa abordagem em prática — e quais ameaças e obstáculos devem prever ao longo do caminho.


Você pode encontrar o artigo completo “Cyber Security: A Peer-Reviewed Journal” aqui.

Não esqueça de compartilhar esta postagem