Estamos melhorando nossas políticas à medida que continuamos facilitando a colaboração global

Estamos melhorando nossas políticas à medida que continuamos facilitando a colaboração global

Esperamos que um dia os governos que constroem barreiras para desconectar seu povo do mundo e de si mesmo reconheçam que estão agindo contra seus próprios interesses e contra os direitos dos seus cidadãos e de toda a humanidade. A realidade é que a Zoom opera em mais de 80 países e continua a se expandir, o que exige conformidade com as leis locais, mesmo quando a empresa busca apenas promover a troca aberta de ideias.

Artigos recentes na mídia sobre as ações que tomamos em relação a Lee Cheuk-yan, Wang Dan e Zhou Fengsuo questionam nosso compromisso de ser uma plataforma pautada pelo diálogo e pela troca aberta de ideias. Para ficar mais claro, as contas desses usuários foram restabelecidas e, a partir de agora, teremos um novo processo para lidar com situações semelhantes.

E continuaremos nos esforçando para tornar a Zoom a maneira mais segura e confiável de reunir pessoas.

Principais fatos

  • Em maio e início de junho, fomos notificados pelo governo chinês sobre quatro grandes reuniões públicas de comemoração no dia 4 de junho na Zoom que estavam sendo divulgadas nas mídias sociais e incluíam os detalhes dessas reuniões. O governo chinês nos informou que essa atividade é ilegal na China e exigiu que a Zoom encerrasse as reuniões e as contas dos anfitriões.
  • Não fornecemos informações dos usuários ou conteúdo das reuniões ao governo chinês. Não temos um backdoor que permita que alguém entre em uma reunião de maneira invisível.
  • Para uma das reuniões, mesmo com a exigência feita pelas autoridades chinesas para que tomássemos uma atitude, optamos por manter a reunião inalterada, visto que não havia participantes da China continental.
  • Em outras duas das quatro reuniões, uma equipe da Zoom sediada nos EUA revisou os metadados da reunião (como endereços IP) enquanto a reunião estava em andamento e confirmou um número significativo de participantes da China continental.
  • Com relação à quarta reunião, o governo chinês nos mostrou um convite de mídia social para uma próxima reunião referente a um evento de comemoração de 4 de junho e exigiu que tomássemos medidas. As autoridades chinesas também nos notificaram de uma reunião prévia sob esta conta que consideravam ilegal. Uma equipe da Zoom sediada nos EUA confirmou a presença de participantes da China continental nessa reunião anterior.
  • Atualmente, a Zoom não tem a capacidade de remover participantes específicos de uma reunião ou impedir que participantes de um determinado país ingressem em uma reunião. Dessa forma, tomamos a decisão de encerrar três das quatro reuniões e suspendemos ou encerramos as contas de anfitrião associadas às três reuniões.

Onde falhamos

Nós nos esforçamos para limitar as ações tomadas apenas ao que for necessário para cumprir as leis locais. Nossa resposta não deveria ter impactado os usuários fora da China continental. Cometemos dois erros:

  • Suspendemos ou encerramos as contas dos anfitriões, uma na SAR de Hong Kong e duas nos EUA. Mas já restabelecemos essas três contas de anfitrião.
  • Encerramos as reuniões em vez de bloquear os participantes por país. Atualmente, não possuímos a capacidade de bloquear participantes por país. Poderíamos ter antecipado essa necessidade. Embora houvesse repercussões significativas, também poderíamos ter mantido as reuniões em andamento.

O que estamos fazendo

  • No futuro, a Zoom não permitirá que solicitações do governo chinês afetem ninguém fora da China continental.
  • A Zoom está desenvolvendo uma tecnologia que nos permitirá remover ou bloquear no nível do participante com base na geografia. Isso nos permitirá atender às solicitações das autoridades locais quando elas determinarem que a atividade em nossa plataforma é ilegal dentro das suas fronteiras. No entanto, também poderemos proteger essas conversas para os participantes fora dessas fronteiras, onde a atividade é permitida.
  • Estamos melhorando a nossa política global para atender a esses tipos de solicitações. Delinearemos essa política como parte do nosso relatório de transparência, que será publicado até 30 de junho de 2020.

Além de conectar pessoas para atividades voltadas para negócios, educação, saúde e outros empreendimentos profissionais, durante essa pandemia global, a Zoom se tornou a principal plataforma que as pessoas em todo o mundo estão buscando para suas conexões interpessoais. A Zoom tem orgulho do papel que estamos desempenhando globalmente e apoia totalmente o diálogo e a troca aberta de ideias que aproximam e reúnem as comunidades em seus esforços para conhecer, organizar, colaborar e comemorar.

Não esqueça de compartilhar esta postagem