Melhorando nossas políticas à medida que continuamos a permitir a colaboração global

Melhorando nossas políticas à medida que continuamos a permitir a colaboração global

Nota do editor 18/12/20: Atualizamos esta postagem do blog sobre as reuniões em memória da Praça da Paz Celestial para refletir as informações que aprendemos recentemente.

Nota do editor 01/07/20: Atualizamos esta postagem do blog para refletir as novas informações sobre o lançamento planejado de nosso Relatório de Transparência. Fizemos um progresso significativo na definição da estrutura e abordagem para um relatório de transparência que detalha as informações relacionadas às solicitações que o Zoom recebe para registros de dados ou conteúdo. Esperamos fornecer os dados fiscais Q2 do segundo trimestre em nosso primeiro relatório no final deste ano.

Esperamos que um dia os governos que constroem barreiras para desconectar seu povo do mundo e uns dos outros reconheçam que estão agindo contra seus próprios interesses, contra os direitos de seus cidadãos e de toda a humanidade. A realidade é que a Zoom opera em mais de 80 países e continua se expandindo, o que exige o cumprimento das leis locais, mesmo quando a Zoom busca promover a troca aberta de ideias.

Artigos recentes na mídia sobre ações adversas que realizamos em relação a Lee Cheuk-yan, Wang Dan e Zhou Fengsuo fizeram algumas pessoas questionarem nosso compromisso de ser uma plataforma para conversas e uma troca aberta de ideias. Para ser claros, suas contas foram restabelecidas e, daqui para frente, teremos um novo processo para lidar com situações semelhantes.

Faremos melhor ao nos esforçarmos para tornar o Zoom a forma mais segura e confiável de reunir as pessoas.

 Fatos chave

  • Em maio, fomos notificados pelo governo chinês de que eles acreditavam que haveria grandes reuniões públicas de comemoração do 4 de junho no Zoom. O governo chinês nos informou que essa atividade é ilegal na China e exigiu que o Zoom encerrasse as reuniões e as contas dos anfitriões. Posteriormente, fomos informados a respeito ou identificamos quatro dessas reuniões.
  • Não fornecemos nenhuma informação de usuários ou qualquer conteúdo de reuniões ligadas ao 4 de junho para o governo chinês, a não ser uma quantidade limitada de dados de usuários relativos aos participantes baseados na China e, potencialmente, as informações da reunião para uma das reuniões. Não temos uma porta dos fundos que permita que alguém entre em uma reunião sem estar visível.
  • Para uma das reuniões, foi realizada uma série de três sessões no Zoom. Embora tenhamos encerrado uma das sessões com base no fato de que incluía participantes localizados na China, optamos por manter uma sessão subsequente intacta porque não havia participantes da China continental, embora as autoridades chinesas exigissem que tomássemos medidas.
  • Para duas das quatro reuniões, uma equipe da Zoom dos EUA revisou os metadados da reunião (como endereços IP) e confirmou um número significativo de participantes da China continental. Em um desses casos, nossa análise ocorreu após o término da reunião e encerramos a conta do organizador para evitar que ocorresse uma reunião ilegal subsequente. Em outra instância, encerramos duas das três sessões em uma série, incluindo uma que foi encerrada com base em uma aparente violação dos termos de serviço, mas a última não foi interrompida.
  • Para a quarta situação, o governo chinês exigiu que tomássemos medidas com base em um convite de rede social para uma próxima reunião referente a um evento de comemoração de 4 de junho. Houve uma reunião anterior organizada nesta conta também referenciando um evento de comemoração de 4 de junho que as autoridades chinesas consideraram ilegal. Uma equipe da Zoom sediada nos EUA confirmou a presença de participantes da China continental na reunião anterior.
  • No momento, o Zoom não tem a capacidade de remover participantes específicos de uma reunião ou impedir que participantes de um determinado país participem de uma reunião. Assim sendo, tomamos a decisão de encerrar três das quatro reuniões e suspender ou encerrar as contas de organizador associadas às três reuniões.

 Como nos perdemos

Nos esforçamos para limitar as ações tomadas apenas às que são necessárias para cumprir as leis locais. Nossa resposta não deveria ter afetado usuários fora da China continental. Cometemos dois erros:

  • Suspendemos ou encerramos algumas das contas de organizador da reunião ou sessão, uma em Hong Kong SAR e quatro nos EUA. Restabelecemos todas as contas de organizador.
  • Encerramos as reuniões em vez de bloquear os participantes por país. No momento, não temos a capacidade de bloquear participantes por país. Poderíamos ter previsto essa necessidade. Embora teria havido repercussões significativas, também poderíamos ter mantido as reuniões em andamento.

 Ações que estamos realizando

  • No futuro, o Zoom não permitirá que solicitações do governo chinês afetem alguém que está fora da China continental.
  • A Zoom está desenvolvendo nos próximos dias tecnologia que nos permitirá remover ou bloquear participantes com base na geografia. Isso nos permitirá atender às solicitações das autoridades locais quando elas determinarem que a atividade em nossa plataforma é ilegal dentro de suas fronteiras; no entanto, também seremos capazes de proteger essas conversas para participantes fora das fronteiras onde a atividade é permitida.
  • Estamos aprimorando nossa política global para responder a esses tipos de solicitações. Vamos delinear essa política como parte de nosso relatório de transparência, a ser publicado ainda este ano.

Além de conectar pessoas para negócios, educação, saúde e outros empreendimentos profissionais, durante esta pandemia global, o Zoom tornou-se a plataforma que as pessoas em todo o mundo estão escolhendo para a conexão humana. A Zoom tem orgulho do papel que desempenhamos globalmente e apoia totalmente a troca aberta de ideias e conversas que reúnem as comunidades para se encontrar, organizar, colaborar e comemorar.

Não esqueça de compartilhar esta postagem